Clicky

Vetados • 06/01/2017 - 13:06 • Atualizado em: 06/01/2017 - 16:15

Vistoria interdita quatro camarotes para o Galo da Madrugada

De acordo com os Bombeiros, ao longo do percurso do bloco, são 50 camarotes, mas apenas 19 já solicitaram autorização

por
Foto: Divulgação/PMPE

Em uma vistoria preliminar realizada por todo o percuso do bloco carnavalesco Galo da Madrugada, na manhã desta sexta-feira (6), o Corpo de Bombeiros interditou quatro pontos de camarotes no centro do Recife.  De acordo com o major Erick Aprígio, os imóveis apresentaram irregularidades estruturais e de segurança para os foliões.

Segundo os Bombeiros, os trabalhos de fiscalização estão sendo realizados de forma antecipada para que tanto a população seja informada, quanto os estabelecimentos possam reparar os danos. Camarotes particulares têm até o próximo dia 12 de janeiro para se inscrever na vistoria e enviar toda a documentação ao Corpo de Bombeiros.

Participaram da vistoria representantes dos Órgãos Operativos da Secretaria de Defesa Social, da Prefeitura do Recife, da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), além de representantes de empresas de telefonias móveis e de TV a cabo. Considerado o maior bloco de carnaval do mundo, o Galo da Madrugada vai desfilar no dia 25 de fevereiro. "As fiscalizações devem continuar até o dia do desfile e na última semana, estaremos realizando vistoria diariamente", explicou Aprígio. 

De acordo com os Bombeiros, ao longo do percurso do bloco, são 50 camarotes, mas apenas 19 já solicitaram autorização."É preciso que os foliões pesquisem o camararote antes de comprar o ingresso pela internet, possa ser que ele esteja interditado e não vá funcionar no dia do bloco", orientou o major.

Os locais que receberem a autorização para funcionamento serão divulgados duas semanas antes do Galo da Madrugada e os que não estiverem na listagem serão fechados. Caso os estabelecimentos funcionam de forma clanfestina, os responsáveis serão indiciados pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE) e Instituto de Defesa do Consumidor (Procon-PE).

Por Eduarda Esteves

Comentários