Clicky

Agito • 12/02/2017 - 03:25 • Atualizado em: 13/02/2017 - 15:26

Vestida de Cisne Negro, Claudia Leitte levanta foliões no Bal Masqué

Com mais de uma hora de atraso e em um show inédito, a cantora foi a segunda atração da noite e trouxe um repertório com seus antigos e novos sucessos

por Eduarda Esteves
Galeria de fotos: 
O cantor Saulo misturou frevo e axé no seu repertório e agradou o públicoO cantor Saulo misturou frevo e axé no seu repertório e agradou o públicoO LeiaJá registrou algumas fantasias dos foliões que foram à festaO LeiaJá registrou algumas fantasias dos foliões que foram à festaO LeiaJá registrou algumas fantasias dos foliões que foram à festaO LeiaJá registrou algumas fantasias dos foliões que foram à festaO LeiaJá registrou algumas fantasias dos foliões que foram à festaO cantor Saulo misturou frevo e axé no seu repertório e agradou o públicoO LeiaJá registrou algumas fantasias dos foliões que foram à festaVestida de Cisne Negro, Claudia Leitte levanta foliões no Bal MasquéGeraldo Julio também esteve presente no eventoJorge Gil diz que o baile se reiventouSaulo e Nena Queiroga cantam frevo juntos

Vestida de Cisne Negro, a cantora Claudia Leitte levantou os milhares de foliões presentes na 69ª edição do Bal Masqué, realizada no Clube Internacional do Recife, neste sábado (11). Com mais de uma hora de atraso e em um show inédito, a cantora foi a segunda atração da noite e trouxe um repertório com seus novos sucessos, como a música “Taquitá”, um e “Corazón”, gravada com o porto-riquenho Daddy Yankee.

Com o tema “Havaí”, o Bal Masqué de 2017 apostou na mistura do frevo com o axé da Bahia para agradar a todos os públicos. O cantor Saulo abriu a noite cantando frevo e ao longo da apresentação mesclava algumas faixas o seu novo álbum, “O Azul e o Sol”. O cantor também animou o público com as músicas clássicas de sua carreira como “Circulou” e “Eva”.

No fim do show, Saulo convidou a pernambucana Nena Queiroga para cantar uma canção improvisada com o baiano. Debaixo de muita chuva, a dupla embalou o público cantando o frevo "Ai, que calor". De acorco com o presidente do Bal Masqué, Jorge Gil, a mistura dos ritmos de Pernambuco e da Bahia é parte do formato de inovação da festa.

"Estamos nos reiventando a cada ano e mais uma vez demonstramos o sucess do Bal Masqué. É um baile que reúne pais, mães e públicos de todos os gostos", disse Gil. A noite também contou com o tradicional concurso de máscaras que remiou os primeiros colocados com R$ 5mil, R$ 4mil e R$ 3mil.

Acompanhado da primeira-dama do Recife, Cristina Mello, o prefeito Geraldo Julio saudou o evento e disse que o Carnaval será ainda maior esse ano. "O Bal Masqué é a prévia mais antiga da nossa cidade e mais tradicional. Soube se reciclar e é uma festa que vale a pena todo mundo vir. Estou aqui todo ano prestigiando esse evento", afirmou. 


Comentários