Clicky

Carnaval • 28/02/2017 - 22:46 • Atualizado em: 01/03/2017 - 11:27

Acessibilidade: o desafio dos cadeirantes no meio da folia

por Geraldo de Fraga
Galeria de fotos: 
Público, apesar da dificuldade de mobilidade, fez questão de curtir a folia Iaponira Souza vai a todo canto na companhia do filho, que é cadeiranteFoliões contam com o serviço Pernambuco Conduz Foliões contam com o serviço Pernambuco Conduz
Foto:
Movimentar-se pelo Recife Antigo durante os quatro dias de Carnaval já é complicado, e para quem precisa se deslocar de cadeira de rodas é uma verdadeira saga. A falta de acessibilidade em vários pontos é o maior problema. Porém, nenhuma dificuldade tira a alegria de quem realmente quer participar da maior festa pernambucana.
 
Dona Iaponira Souza vai a todo canto na companhia do filho, que é cadeirante. Para chegar ao pólo da Praça do Arsenal, ela usou o serviço Expresso da Folia da Prefeitura do Recife. “O ônibus funciona, mas as pessoas não respeitam. Se você não falar, ninguém oferece lugar na fila, nem ajuda. Andar na rua também é horrível, buraco na calçada, falta rampa”, reclama. “Mas estamos aqui todo ano”, garante.
 
O Governo do Estado disponibiliza um serviço de transporte para cadeirantes nas principais cidades onde tem Carnaval, o Pernambuco Conduz. No Recife, o ponto fica em frente à Prefeitura e é gratuito. Uma van equipada para comportar três cadeiras de rodas e com espaço para acompanhantes, circulou todos os dias, levando e buscando os passageiros.
 
Quem utilizou e aprovou o serviço foi Sidney Júnior; “Nunca vinha para Carnaval porque não gostava, achava perigoso, mas resolvi vir e estou gostando. Foi fácil chegar”, conta. O empresário Luiz Medeiros, um dos acompanhantes, também elogiou o Pernambuco Conduz. “Show de bola, todo mundo muito atencioso e a van confortável”, diz.

Comentários