Clicky

Sem apoio • 01/03/2017 - 12:45 • Atualizado em: 01/03/2017 - 12:46

Sem segurança, Dona Dá fecha a porta para os Boizinhos de Olinda

Insegurança tem amedrontado moradores de tradicional rua de Olinda nos Carnavais e anfitriã não irá receber agremiações

por Naiane Nascimento
Galeria de fotos: 
Moradores irão pedir uma reunião com o prefeito para pedir segurança na RuaMoradores irão pedir uma reunião com o prefeito para pedir segurança na RuaMoradores irão pedir uma reunião com o prefeito para pedir segurança na RuaMoradores irão pedir uma reunião com o prefeito para pedir segurança na RuaMoradores irão pedir uma reunião com o prefeito para pedir segurança na RuaMoradores irão pedir uma reunião com o prefeito para pedir segurança na Rua
Pela primeira vez em 35 anos, a casa de Dona Dá não estará aberta no Encontro dos Boizinhos de Olinda. O motivo: a insegurança. "Depois da confusão de ontem à noite (28), não tinha condições de realizar o encontro", explicou Dona Dá. Ela oferece agrados às agremiações como frutas, sucos e lembranças de Olinda. A confusão citada se tratou de uma "briga de galeras" relatada por moradores revoltados da Rua da Boa Hora.

"O caos começou por volta das 20h e até às 22h30 a gente viveu um terror. Era cerca de 60 pessoas com pedras, ferros, facões e outros sem armas, mas eles agrediam as pessoas, espancavam e levavam os pertences delas", contou a fonoaudióloga Andreza Dornelas. 
 
"Foram cenas horríveis, o que a gente podia fazer era colocar para dentro das nossas casas os foliões. Muitos pediam socorro, pediam ajuda e a gente teve que fazer isso porque não tinha policial para conter a confusão", detalha a autônoma, Oteama Cristina.
 
O servidor público, Roberto Medeiros, do Rio Grande do Norte, disse passar o carnaval, todos os anos, em Olinda, mas afirma nunca ter visto cenas tão tensas quanto às assistidas na última terça-feira. "Já sei que a gente não pode andar com os nossos pertences expostos, mas este ano eu vi muitos assaltos, espancamentos, principalmente contra mulheres e a confusão de ontem foi inexplicável". Triste, Dona Dá mostrou que tudo estava pronto para receber as agremiações, mas esperançosa ela diz esperar que em 2018 tudo volte ao normal. 
 
Pedido por segurança 
 
Moradores da Rua da Boa Hora relembram saudosos a época em que a Folia de Momo era vivida sem medo e informaram que os casos de roubos e assaltos vêm aumentando nos últimos seis meses, com violência contra moradores e estabelecimentos. Diante disso, eles estão articulando buscar uma reunião com o prefeito de Olinda para pedirem segurança para a população.

Comentários