Clicky

Baco • 06/01/2018 - 21:43 •

Baile Artístico Carnavalesco de Olinda valoriza artistas pernambucanos

A festa prestou homenagem ao Maestro Oséas, Karynna Spinelli, Maracatu Nação Pernambuco e Adriana do Frevo

por Angélica Souza
Público contou com uma bela festaWill Lima e banda foi uma das atrações da festa Público contou com uma bela festaO frevo tomou conta do evento O frevo tomou conta do evento Laura Pietzsch aprovou a festaAdriana do Frevo foi homenageada no evento Karynna Spinelli agradeceu a homenagem Festa animou o público em Olinda Festa animou o público em Olinda Nação Pernambuco recebeu homenagens no evento Nação Pernambuco recebeu homenagens no evento Público curtiu a festa neste sábado
Foto:

Com apresentação de Ana Paula Guedes, o primeiro Baile Artístico Carnavalesco de Olinda - Baco atraiu foliões para a sede do Clube Vassourinhas, em Olinda, na tarde deste sábado (6). A escolha da sigla do nome do baile não foi coincidência: Baco, deus do vinho, das festas, do lazer, do prazer e da folia, foi lembrado por seus organizadores.

"A ideia surgiu de uma brincadeira. Percebemos que em Olinda não tínhamos bailes culturais, com a nossa musicalidade, foi então que Dadinha Gomes - a Dadinha do Passo- e eu, decidimos, em três meses, fazer essa festa", explica Daniel Dias, um dos idealizadores do baile. "Convidamos alguns artistas e, mesmo sem quase nenhum recurso, conseguimos fazer uma bela festa. Os artistas não estão recebendo cachê, mesmo assim, abraçaram nossa causa", conclui Daniel.

O baile teve início com a escolha do Rei e da Rainha do Baile, logo após Will Lima e banda agitou a galera, que já estava em clima carnavalesco, com fantasias e adereços. Pela primeira vez no carnaval de Olinda, a Laura Pietzsch veio de Porto Alegre (RS) e adotou Olinda como residência há 10 meses, após uma formação de parteiras, promovido pela ESCTA - Escola de Saberes, Cultura e Tradição Ancestral. A paixão pela religiosidade afro foi tão grande que ela mudou-se para a cidade pernambucana, com o intuito de iniciar-se no candomblé. A advogada continua prestando consultoria jurídica para administração pública e atua como doula (assistente de parto sem formação médica). "Fiquei encantada com a acolhida das pessoas daqui, por isso, resolvi ficar de vez", explica Laura, que faz parte do Terreiro Oxum Opará, no Bonsucesso, em Olinda.

A festa seguiu com a participação de Melina de Oyá, o Toca Ogan (Nação Zumbi). Depois foi a vez do primeiro homenageado, o Maestro Oséas, escolhido como líder da música, em Olinda. Em um pocket show com aproximadamente 40 minutos, Karynna Spinelli, também homenageada, levou todo o seu axé para o palco, dando início à sua apresentação com Cigana de Fé, saudando as entidades do candomblé, além de prestar homenagem a Clara Nunes, à Jurema Sagrada, Pixinguinha, com a música Carinhoso. O encerramento foi com 'Emoriô' e 'É de Oxum', canção de Selma do Samba, gravada no primeiro disco de Spinelli, Morro do Samba. "Quero agradecer aos criadores do baile e desejar vida longa", expressou emocionada Karynna.

As comemorações seguiram até o início da noite, com homenagens ao Maracaru Nação Pernambuco e a Adriana do Frevo, que atua há 30 anos na Cia Brasil por Dança. "Receber o reconhecimento de pessoas que fazem cultura, que fazem a dança, me faz sentir lisonjeada", fala Adriana do Frevo. A noite contou, ainda, com a banda 'A Cocada' e encerrrou com a 'Batuketu'. 


Comentários