Clicky

prefeito não viu • 15/02/2018 - 09:08 • Atualizado em: 15/02/2018 - 09:26

Carnaval 2018: ''Teve arrastão sim'', rebate Edilson Silva

O deputado estadual rebateu a declaração do prefeito Geraldo Julio (PSB) que afirmou não haver registro de arrastão no Recife Antigo durante o carnaval

por Taciana Carvalho
Foto: Roberto Soares/Alepe
Nessa quarta-feira (14), a declaração mais repercutida entre a população foi a do prefeito do Recife, Geraldo Julio (PSB), ao afirmar que não teve registro de arrastão no Recife Antigo durante o Carnaval. O deputado estadual Edilson Silva (PSOL), nesta quinta-feira (15), rebateu a declaração. “A Secretaria de Defesa Social dizendo à imprensa que não teve arrastão no Carnaval. Teve sim”, falou o psolista. 
 
No entanto, o deputado ressaltou que a sensação a princípio é de um carnaval menos violento. “Relatos dão conta do caos que tomou conta no Cais de Santa Rita na terça-feira nos momentos de dispersão. Os números e a sensação iniciais são de um Carnaval menos violento sim e isso é positivo e motivo de menos intranquilidade”. 
 
Edilson ainda falou que o governo não deve “maquiar a realidade”. “Pois é da crítica aos problemas que surgem soluções. Todos os anos é uma reclamação geral da falta de transporte público para garantir a mobilidade dos foliões e trabalhadores. Isso, obviamente, deixa a população mais vulnerável à ação de criminosos e de arrastões”. 
 
Na tarde dessa quarta, a SDS-PE também concedeu uma coletiva para falar sobre os dados relativo à segurança durante a festa. O secretário Antônio de Pádua chegou a dizer que foi “dos carnavais mais seguros que já tivemos”. Entre outras informações divulgadas, foram registrados 59 crimes violentos letais intencionais (CVLIs) - que englobam homicídios, lesões corporais seguidas de morte e latrocínios - foram registrados entre 0h do sábado (10) e 23h59 da terça (13), uma redução de 25,3% em relação ao ano passado, que teve 79 casos. 
 
As ocorrências de estupros e atos obscenos também tiveram queda no número. Foram 4 registros neste Carnaval - 1 estupro e 3 atos obscenos -, enquanto em 2017 os mesmos crimes foram registrados 7 vezes. Os roubos e furtos de celulares também diminuíram, de acordo com a SDS. 1019 aparelhos foram roubados na folia deste ano, já em 2017 o número foi de 1280.

Comentários