Clicky

ABORDAGENS • 15/02/2018 - 15:50 •

Lei Seca em Pernambuco: mais de 100 carteiras de habilitação recolhidas durante o Carnaval

No bloco de maior aglomeração de pessoas, o Galo da Madrugada, houve 292 atendimentos de saúde, o que equivale a uma redução de 38,9%

por
Foto: Paulo Uchôa/LeiaJáImagens

A Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE) tornou público, nesta quinta-feira (15) o balanço dos atendimentos durante o período carnavalesco, em Pernambuco. Das 19h da sexta-feira (9) até 7h da Quarta-Feira de Cinzas, foram registrados 29.672 atendimentos em todas as unidades da rede, localizadas nas proximidades dos focos de folia (ao todo, 25 hospitais e 15 Unidades de Pronto Atendimento - UPAs).

Segundo o órgão, houve uma redução de 1,6% em relação ao mesmo período do ano passado. A maior diminuição nos atendimentos foi registrada nos 12 hospitais localizados na Região Metropolitana do Recife (RMR), que realizaram 4.832 atendimentos (número 5,45% menor que em 2017). O “campeão” em atendimentos - 951 - seguiu sendo o Hospital da Restauração, na área Central do Recife. Já no interior do Estado, houve um acréscimo de exatamente 12 pacientes neste ano, em comparação com o ano anterior.

No bloco de maior aglomeração de pessoas, o Galo da Madrugada, houve 292 atendimentos de saúde, o que equivale a uma redução de 38,9%. A maioria das ocorrências com foliões teve relação à ingestão de álcool e mal estar. Quanto à resolutividade dos atendimentos, mais de 75% foram deliberados no local de atendimento e 13,67% necessitaram de transferência ou internação.

Lei Seca

Com ações de fiscalização em todo o Estado durante o Carnaval, a Operação Lei Seca abordou, das 0h da sexta (09/02) até esta quarta-feira (14/02), 12.488 veículos, uma ampliação de 4,5% em relação ao ano anterior. Desse total, 88 foram rebocados e 121 CNHs foram recolhidas.

Dos condutores abordados, 64 se recusaram a fazer o teste do bafômetro. Nos 12.666 testes de alcoolemia realizados, foi constatado que 39 pessoas beberam após dirigir. Dessas, duas cometeram crime, conforme a legislação de trânsito – representando uma redução de 66% em relação ao mesmo período do ano passado.

Os motoristas autuados por alcoolemia sofrem punições administrativas, que preveem multa gravíssima com a perda de 7 pontos na carteira, recolhimento da Carteira Nacional de Habilitação e aplicação de multa no valor de R$ 2.934,70. Aqueles que cometeram crime de trânsito, além dessas sanções, foram conduzidos para a delegacia de polícia e autuados

 

Comentários