Clicky

Assédio • 16/02/2018 - 09:02 • Atualizado em: 16/02/2018 - 15:01

Fotógrafa denuncia agressão de foliões do bloco As Muquiranas

A denúncia nas redes sociais indignou muitos internautas que também se solidarizaram com as vítimas e relataram episódios que já sofreram por foliões que são seguidores do bloco As Muquiranas

por Scila Brito
Reprodução / Facebook Foto: Reprodução / Facebook
A Fotógrafa Paula Fróes e a Produtora Audiovisual Maria Carolina denunciaram na última terça-feira (13), através da rede social, o desrespeito de um grupo de foliões que seguiam o bloco As Muquiranas em Salvador. Através do post delas, outras mulheres também em redes sociais se uniram e relataram experiências semelhantes das vividas pelas duas amigas através da hashtag #UmCarnavalSemMuquiranas.
 
Paula Fróes ia em direção ao trio no qual iria trabalhar e estava acompanhada da amiga Mariana. Durante o trajeto foram interrompidas por foliões do Muquiranas que as agrediram verbal e fisicamente. O único método de defesa foi fotografar os agressores que insistiam em atirar jatos de água que poderiam danificar o equipamento de trabalho da fotógrafa.
 
"A gente ouvia as risadas e via o peito inflado com o ego ultrapassando qualquer barreira de sanidade. A imposição de poder deles naquele momento e a nossa sensação de impotência foi completamente devastadora e humilhante. E quanto mais a gente gritava e tentava se defender de alguma forma, mais eles colocavam as armas na nossa cara, mais eles nos insultavam", relatou Maria.
 
Mais de vinte homens covardemente cercaram as duas amigas, e apenas um tentou defendê-las. "Ele largou o isopor e veio colocar a mão na frente, também se molhou, por nós", afirma Maria.
 
#UmCarnavalSemMuquiranas
 
A hashtag #UmCarnavalSemMuquiranas tomou conta das redes sociais e muitas mulheres expuseram suas indignações e condenaram ações sofridas por parte dos foliões das Muquiranas. Puxões de cabelo, tapas, beijos forçados, apertões e até de passarem a mão em partes íntimas. O público LGBT também se manifestou e repudiou a ação dos agressores.
 
Após as hastagas diversos comentários dos internautas se perpetuam na rede:
 
"Gente, leiam os relatos da tag #UmCarnavalsemMuquiranas. É assustador."
 
"Por um próximo carnaval sem Muquiranas, bloco escroto que se veste de mulher para agredir mulher."
 
"Se cada uma de noix denunciasse algum tipo de agressão das muquiranas...essa lista não teriam fim!!!"

Comentários