Clicky

Aniversariante • 17/02/2018 - 19:50 • Atualizado em: 17/02/2018 - 20:55

Pitombeira celebra 71 anos e ladeiras de Olinda novamente se enchem de frevo

Bloco ganhou as ladeiras de Olinda arrastando os foliões que, a despeito do cansaço e da chuva, fizeram questão de comemorar seu aniversário

por Paula Brasileiro
Paula Brasileiro/LeiaJáImagensPaula Brasileiro/LeiaJáImagensPaula Brasileiro/LeiaJáImagensPaula Brasileiro/LeiaJáImagensPaula Brasileiro/LeiaJáImagensPaula Brasileiro/LeiaJáImagensPaula Brasileiro/LeiaJáImagens
No dia 17 de fevereiro de 1947 nascia, em Olinda, a Pitombeira dos Quatro Cantos, um bloco que cresceu e se tornou um dos mais importantes da cidade. Neste sábado (17), os foliões olindenses não quiseram saber do cansaço pós-carnaval e foram para as ladeiras comemorar os 71 anos de frevo da Pitombeira. A chuva que caiu durante todo o dia até tentou ofuscar a festa, mas os resistentes compareceram e celebraram mais um aniverssário. 
 
Antes de ganhar as ruas ao lado da orquestra, o presidente do bloco, Julio Silva, falou sobre a missão da agremiação: "Pitombeira é uma troça que todo mundo gosta, a gente está há 71 anos fazendo frevo. É o que a gente sabe fazer e ela foi criada para isso, fazer e divulgar o frevo". À frente do bloco há duas décadas, Julio afirma que as dificuldades para mantê-lo são muitas, mas a continuidade do trabalho se dá através 'de planejamento, boa vontade e ajuda dos amigos'. "A gente está sempre na expectativa de, a cada ano, fazer um Carnaval melhor". 
 
À frente da orquestra, ladeando o maestro, o porta estandarte da agremiação, Maviael Gomes, há 22 anos na função, era só sorrisos. A emoção de comemorar o aniversário de Pitombeira mal pôde ser traduzida em palavras: "É muito amor por esse bloco", se declarou. Os foliões que acompanharam a derradeira saída do bloco, neste Carnaval, já decretavam ser a primeira prévia de 2019. A Pitombeira começa os trabalhos para a folia no mês de setembro, sempre no dia 7, com seu primeiro ensaio. Depois da festa de hoje, resta esperar até lá. 
 

Comentários