Clicky

Oportunidade • 21/02/2019 - 16:36 • Atualizado em: 21/02/2019 - 16:41

Carnaval é folia, mas também oportunidade de trabalho

Central do Carnaval, no Recife, prevê 6 mil ocupações, por exemplo. Olinda estima 100 mil empregos diretos e indiretos 

por
. Foto: .

De acordo com dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, o Carnaval 2019 deve movimentar em todo o Brasil R$ 6,78 bilhões, o que representa cerca de 2% de aumento em relação ao ano passado. A CNC também estima que os festejos de momo gerem 23,6 mil postos de trabalho temporário, sendo o setor de alimentação responsável por cerca de 70% dessas oportunidades.

O carnaval do Recife é um dos maiores em festa e em geração de oportunidades também. A Prefeitura realiza nos últimos anos ações de empreendedorismo durante o período e busca fortalecer o trabalho de artesãos e pequenos comerciantes. O Bairro do Recife abriga mais de 100 barracas oficiais de vendas de bebidas e comidas, artesanato e customização de fantasias, mão de obra em grande parte oriunda de comunidades vizinhas ao bairro, como a do Pilar, além de aproximadamente 88 pontos cadastrados nos polos descentralizados.

Além disso, a Central do Carnaval funciona como um polo de informações e serviços. Ao todo, 6 mil pessoas estarão envolvidas na realização da festa, que engloba também os serviços de limpeza, saúde, atendimento à mulher, direitos humanos, atendimento ao turista, economia solidária, atendimento ao consumidor, entre outros.

Os catadores de recicláveis também terão chances de aproveitar o ciclo carnavalesco para aumentar a renda familiar, porque a Autarquia de Manutenção e Limpeza Urbana (Emlurb) vai montar no Bairro do Recife um ponto fixo de coleta seletiva, que além de cadastrar, vai dar apoio a trabalhadores de cooperativas parceiras da Emlurb. “Este ano a gente vai dar um foco maior na reciclagem dos materiais e resíduos para evitar que o que tem potencial de comercialização chegue até o aterro. Temos uma grande quantidade de catadores nas ruas e vamos cadastrar 100 deles para mostrar a importância que têm para esse evento”, disse o gerente geral de Fiscalização e Limpeza da Emlurb, Avelino Pontes.

O Galo da Madrugada também é um dos eventos que mais concentram essa mão de obra temporária. A cada ano, o evento gera milhares de oportunidades diretas e indiretas, entre costureiras, artistas, músicos, bombeiros, vendedores ambulantes, montagem de estruturas, rede hoteleira e acréscimo na oferta de táxis e motoristas de aplicativos.  

Os camarotes privados que são distribuídos ao longo do percurso do Galo também são responsáveis por absorver parte desse público que faz da folia uma chance de renda extra e ampliação dos contatos para eventos ao longo do ano. Um desses espaços tem uma área de mais de 3000m², com atrações musicais, serviços de bar, alimentação, posto médico e contratou para o trabalho durante o Sábado de Zé Pereira 250 pessoas, entre garçons, profissionais da cozinha, seguranças, técnicos de palco, equipe de saúde e apoio.“Boa parte da equipe vem de outros carnavais e eventos que produzimos ao longo do ano. Valorizamos quem está conosco”, explica o produtor do Camarote Balança Rolha, André Cavalcanti.

Outro espaço privado, localizado no Bairro do Recife, contratou 200 pessoas para uma festa infantil. Entre as funções principais estão bombeiros, enfermeiros e seguranças, além de uma equipe de apoio. “É uma equipe treinada e especializada em atividades voltadas para o público infantil, artistas circenses, músicos e recreadores”, afirma a produtora do Paradorzinho, Juliana Martins.

Berço de cultura carnavalesca, Olinda atrai turistas e pernambucanos. O carnaval da cidade é conhecido mundialmente pela gratuidade da diversão, diversidade de atrações e públicos. A Marin dos Caetés é também um forte polo de geração de renda. Durante o mês de janeiro e até a última quarta-feira (20), a Prefeitura da cidade cadastrou centenas de ambulantes para trabalharem na venda de seus produtos durante todo carnaval.

“O evento carnavalesco é ótima oportunidade para quem está desempregado ou procurando dinheiro extra. Mais de 100 mil empregos diretos e indiretos serão criados durante os dias de folia e isso gera renda para município e para população", ressalta o Secretário de Patrimônio, Cultura e Turismo de Olinda, João Luiz.

A cidade de Olinda faturou com o carnaval 2018 cerca de R$280 milhões, quando, além da absorção de mão de obra, houve uma taxa de ocupação de 96% da rede hoteleira local, maior circulação de pessoas nos restaurantes e bares, tendo aí uma ampliação no número de contratações temporárias. A expectativa é que para este ano os números sejam positivos. De acordo com as Prefeitura de Recife e Olinda, todas as vagas ofertadas já foram preenchidas. 

*Por Marcele Lima

Comentários