Clicky

BLOCOS DE RUA • 22/02/2019 - 14:32 • Atualizado em: 22/02/2019 - 14:50

Do MPB ao Punk Rock: Carnaval de SP atrai todos os públicos

Blocos de rua da capital paulista garantem a alegria até daqueles que não simpatizam com ritmos como samba e axé

 

por
Foto:

Os blocos de rua têm conquistado cada vez mais espaço no carnaval de São Paulo. Em 2019 serão mais de 500 blocos desfilando em diversas regiões da cidade e agradando os amantes de diferentes ritmos musicais. São blocos de MBP, axé, pop, de diferentes vertentes do rock, como o emocore e o punk, entre outros.

A estudante de administração Jaci Diniz, 25 anos, vai no “Bloco Emo” e conta que o que a motiva a sair de casa para curtir o carnaval de rua deste ano é justamente a diversidade de ritmos, já que nunca foi muito carnavalesca.

"Jamais imaginei que teria um bloco que eu fosse ouvir tudo aquilo que ouvia dez anos atrás, durante a minha adolescência. Vai ter muitas bandas que ouço até hoje e trazer isso para festa mais popular do país é sensacional. Acredito que os organizadores estão começando a perceber a importância dessa diversidade musical", afirma.

Bloco Bicho Maluco Beleza, que agitou as ruas de SP ao som de Alceu Valença em 2018 | Foto: Divulgação

Já o tradutor e revisor de textos Rafael Amaral, 24 anos, pretende ir no “Bloco Bicho Maluco Beleza”, que conta com a participação do cantor Alceu Valença pelo quinto ano consecutivo. Para o folião, o mais legal do carnaval de rua da capital paulista é a oportunidade de curtir estilos de música que fogem do convencional.

"No carnaval precisamos enaltecer outros estilos musicais, além do funk, que toca nas baladas o ano inteiro. A mistura de ritmos é legal desde que tenham músicas alegres. Eu gosto de Simone & Simaria, por exemplo, mas não quero dançar sofrência nos bloquinhos", avalia.

Rua é tomada pelo Bloco 77 - Os Originais do Punk | Foto: Divulgação

O interesse do público por blocos alternativos é o que também fez o “Bloco 77 - Os Originais do Punk” se destacar na diversidade de ritmos no carnaval de São Paulo. O estudante de pedagogia e professor de educação infantil Guilherme Guimarães, 20 anos, vai participar do sexto desfile do bloco por acreditar que, além de abrir espaço para as pessoas curtirem o carnaval de rua, o bloco descontrói os estereótipos em torno do punk.

"Eu vejo o bloco como uma maneira de unir as pessoas e mudar a percepção que a sociedade e a mídia têm de nós punks, de que somos marginais, quando na verdade, lutamos contra todo tipo de discriminação ao lado das mulheres, negros, LGBTQ+", explica.

Por Nataly Simões

 

Serviço:

Bloco Bicho Maluco Beleza com Alceu Valença

Quando: sábado – 23 de fevereiro

Onde: Praça Armando de Sales Oliveira, Obelisco do Ibirapuera

Horário: 13h

 

Bloco Emo

Quando: segunda-feira – 4 de março

Onde: Avenida Tiradentes, Centro de SP

Horário: 14h

 

Bloco 77- Os originais do Punk

Quando: sábado – 2 de março e segunda-feira – 4 de março

Onde: Rua Simão Álvares, 590, Pinheiros

Horário: 15h

Comentários