Clicky

Crime • 03/03/2019 - 11:18 • Atualizado em: 03/03/2019 - 11:52

Caso de racismo é flagrado no desfile do Homem da Meia-Noite

A jovem ofendida respondeu que sentia orgulho da sua cor

por Jameson Ramos
Tudo começou por conta da aglomeração de pessoas e o empurra-empurra Foto: Luan Amaral/LeiaJá Imagens

A expectativa em torno da saída do Homem da Meia-Noite concentrou inúmeras pessoas na sede do Calunga, localizada na Estrada do Bom Sucesso, em Olinda, Grande Recife. No entanto, a grande movimentação e o espaço apertado acabaram gerando vários atritos entre os foliões, inclusive um ato de racismo presenciado pela equipe do LeiaJá.

Na ocasião, uma mulher não identificada iniciou uma discussão com Taynan Oliveira, de 20 anos, que é negra. As duas começaram a argumentar por conta de empurrões, mas em determinado momento a moça fez um gesto indicando que não argumentaria com Taynan pela cor da sua pele e por conta do “seu cabelo ruim”.  

A jovem ofendida respondeu que sentia orgulho da sua cor. A mulher agressora foi contida e retirada do local por policiais que estavam próximos. “Eu tava em frente à sede do Homem da Meia-Noite e tinha muito movimento e empurra-empurra como sempre. Ela se incomodou porque a amiga dela disse que estava batendo em mim, ela virou e perguntou ‘quem é ela?’ e falou que não ia falar muito por eu não ter a cor dela”, informa Taynan.

A vítima completa: “Ela falou que aqui não era lugar para mim e que eu não podia ficar. Se antes, quando não tinha esse grande movimento (negro) todo, imagina agora. Sou preta, negra, do cabelo afro, da boca grande”, finalizou Taynan.  

*Com informações de Luan Amaral

Comentários