Clicky

Concurso Nacional de Fantasia LGBT • 05/03/2019 - 10:30 • Atualizado em: 05/03/2019 - 10:35

Fantasia de Nossa Senhora vence concurso LGBT no Carnaval de Salvador

Pernambucana venceu a disputa pela sexta vez consecutiva

por Jorge Cosme
Foram necessários oito meses e oito pessoas para montar a fantasia Foto: Gilberto Jr./Secom

A pernambucana Sandra Farais, de 41 anos, foi uma das vencedoras do Concurso Nacional de Fantasia LGBT, realizado na noite dessa segunda-feira (4) na Praça Municipal, em pleno Carnaval de Salvador. Pela sexta vez consecutiva, ela venceu na categoria "luxo" com uma fantasia de 120 quilos de pedras em homenagem a Nossa Senhora do Monte Carmelo, com adereços como lantejoulas e penas de faisão real. 

Foram precisos oito meses e oito pessoas para construir a fantasia da santa, que mede cinco metros de altura e tem seis de largura. Ano passado, Sandra venceu na mesma categoria com a fantasia de Colombina, em alusão aos antigos carnavais.  

"Minha fantasia tem a predominância do amarelo e muito requinte. Não é fácil ganhar, porque meus concorrentes também são maravilhosos, mas fico feliz em ter um evento como esse em Salvador, na Bahia, que premia fantasias e dá visibilidade ao povo LGBT", destacou ela, que ganhou o prêmio de R$8 mil nesta que foi a 22ª edição do concurso. O evento é promovido pelo Grupo Gay da Bahia (GGB), Quimbanda Dudu e Centro Baiano Anti-Aids, com apoio da Prefeitura. “A premiação é uma forma de incentivo à produção cultural e artística individual”, disse o presidente do GGB, Marcelo Cerqueira. 

Critérios - O critério de eleição das melhores fantasias foi por julgamento. Os itens levados em consideração foram beleza, elegância, simpatia, desenvoltura na passarela, pedraria, penas, postura e o valor gasto pelo candidato na produção da roupa, especialmente na categoria luxo, a mais esperada do evento. “Tanto na categoria 'luxo' quanto 'originalidade', é importante avaliar o grau de dificuldade para a realização da roupa”, afirmou Cerqueira.

Na categoria "originalidade", que teve como vencedor nessa segunda-feira Severino Queiroga da Silva, com uma fantasia ecológica com tampinhas de garrafa e réplica de tartaruga, o critério mais importante foi a semelhança com a ideia principal. 

Entretanto, nessa categoria é proibida a utilização de materiais preciosos, pedrarias caras, penas raras, entre outros acessórios que possam dá conotação de luxo. De acordo com a produção, as apresentações que envolvam “protesto” e “irreverência”, pautadas em situações da atualidade, tiveram um olhar especial dos jurados.

Com informações da assessoria

Comentários