Clicky

Alerta • 05/03/2019 - 17:11 • Atualizado em: 05/03/2019 - 17:21

Governo de Pernambuco registra cerca de dez vítimas furadas por agulhas durante o Carnaval

Segundo a Secretaria de Saúde, vítimas não teriam acionado a polícia. Elas receberam tratamento padrão usado na prevenção da infecção pelo HIV

por Jorge Cosme
O Hospital Correia Picanço é referência estadual no tratamento de doenças infecto-contagiosas Foto: Divulgação/Secretaria Estadual de Saúde/Arquivo

Cerca de dez pessoas deram entrada no Hospital Correia Picanço (HCP), no bairro da Tamarineira, Zona Norte do Recife, após supostamente terem sido furadas por seringas durante o Carnaval. Não há informações de pessoas presas pelo ocorrido.

Todos os pacientes admitidos na unidade passaram pela profilaxia pós-exposição (PeP), tratamento padrão usado na prevenção da infecção pelo HIV. Os pacientes foram liberados após avaliação médica, com a orientação de retorno após 30 dias para conclusão do tratamento.

Segundo a Secretaria Estadual de Saúde (SES), as próprias vítimas disseram não ter acionado as autoridades policiais. Elas foram orientadas a procurar os órgãos competentes para que as ocorrências sejam investigadas.

A pasta afirma que questões de saúde estão sendo monitoradas 24 horas por dia no Centro Integrado de Operações Conjuntas da Saúde (CIOCS), sala de situação instalada na sede da SES. Uma equipe de gestores acompanha as ações por meio de painéis situacionais, permitindo agilidade na compilação de dados, além de agrupar número de atendimentos e doenças de notificação compulsória. O trabalho funciona conectado às notificações do software Ambiente de Monitoramento de Risco (AMBER), que produz relatórios em tempo real com os dados gerados nos serviços de saúde.

Comentários