Clicky

Boa ação • 20/01/2018 - 22:03 • Atualizado em: 20/01/2018 - 22:03

Bloco da Chuva vai convocar foliões para falar sobre o amor

O cantor Emílio Santiago, em 2013, chegou a incentivar que um dos temas do bloco tivesse um cunho social

por Taciana Carvalho
Jemyson Cleyton é um dos idealizadores do bloco Divulgação (Jemyson Cleyton é um dos idealizadores do bloco )
O que não faltam no carnaval pernambucano são blocos que tratam sobre os mais diversos temas, desde política até outros com teor engraçado. Mas, um em especial, o Bloco da Chuva, chama a atenção por abordar um assunto nobre e tão importante: o amor. Os foliões que participarem da edição deste ano, que invadirá as ruas do Recife Antigo, no próximo dia 12 de fevereiro, vestirá a blusa que terá como estampa a frase “Conecte @o Amor.”
 
Um dos idealizadores do bloco, Jemyson Cleyton, disse que tudo começou em 2010 como uma brincadeira entre amigos, mas que foi ficando sério. “Em 2013, em conversa com Emílio Santiago, ele foi um que deu a ideia de que o bloco tivesse uma proposta social e fomos estudando uma forma com que fizesse que esse bloco permanecesse vivo e que fosse direcionado para ajudar a quem precisa”, contou. 
 
A ideia foi posta em prática ao longo dos anos. Em 2016, por exemplo, foi abordada a importância da reciclagem. No ano passado, o destaque foi a necessidade de "doar", no qual teve como foco incentivar as pessoas a doarem sangue no Hemope. Uma parte da venda das camisas também foi revertida para o Grupo de Ajuda à Criança Carente com Câncer (GAC), entre algumas das ações do bem. 
 
Jemyson destacou, em entrevista ao LeiaJá, que o que seremos amanhã depende das atitudes de hoje. “Temos que ter amor e conectarmos com esse amor para emanar tudo que temos para sermos uma pessoa melhor hoje, amanhã e sempre. Todo mundo precisa de uma inspiração, de uma atenção, um abraço porque o amor possui infinitas faces e elas estão em cada gesto que temos um com o outro. Quando olhamos para o outro com o olhar da alma, a gente consegue perceber que o outro tem dores, tem sentimentos. Somos humanos e, por sermos humanos, precisamos sentir a dor alheia”.
 
Ele garantiu que o desfile nas ruas do Recife Antigo também visa espalhar que o amor está na essência. “Todos nós temos problemas, mas temos que perder o individualismo, porque temos que conviver em grupo. Conectar ao amor é uma conexão que você precisa interligar e esquecer que a sociedade é intolerante, que temos um egoísmo, um preconceito. É a partir daí que você consegue fazer algo. O amor está na essência”, finalizou.
 
A camisa, assinada por Ademar Luz, está repleta de símbolos que representam o amor e dá direito ao open bar. Parte da renda será destinada a uma associação denominada Anjos, que acolhe famílias das crianças nascidas com microcefalia. Mais informações e vendas por meio do telefone (81) 9.8532-1321. 
 
 

Comentários