Clicky

Ancestralidade • 06/02/2018 - 03:11 • Atualizado em: 06/02/2018 - 09:16

Maracatus pedem paz para o Carnaval na Noite para os Tambores Silenciosos de Olinda

Ao todo, 10 nações de maracatu desfilaram pelas ruas da Cidade Alta louvando os ancestrais e pedindo proteção para o período carnavalesco

por Paula Brasileiro
Rafael bandeira/LeiaJáImagensRafael Bandeira/LeiaJáImagensRafael Bandeira/LeiaJá ImagensRafael Bandeira/LeiaJáImagensRafael Bandeira/LeiaJáImagensRafael Bandeira/leiaJáImagensRafael Bandeira/LeiaJáImagensRafael Bandeira/LeiaJáImagensRafael Bandeira/LeiaJáImagensRafael bandeira/LeiaJáImagensRafael Bandeira/LeiaJáImagensRafael Bandeira/LeiaJáImagensRafael bandeira/LeiaJáImagens
Na última segunda (5), os tambores de 10 nações de maracatu de baque virado encheram a noite do Sítio Histórico de Olinda. A 17ª edição da Noite para os Tambores Silenciosos de Olinda percorreu as ladeiras da Cidade Alto culminando numa cerimônia de reverência à ancestralidade e clamor por paz e proteção para os dias de Carnaval. Os cortejos foram acompanhados por um público grandioso que vibrou muito a cada loa entoada.
 
Promovida pela Associação de Maracatus de Olinda (AMO), o evento reúne moradores da cidade, apaixonados por maracatu e turistas, que a esta altura já se encontram aos montes pelas ruas históricas. A Nação Leão Coroado, fundada em 1863, Patrimônio Vivo de Pernambuco, abriu os cortejos por volta das 20h nos Quatro Cantos. O mestre do Leão, Afonso Aguiar, que também é presidente da AMO, falou da importância do momento: "É uma louvação aos nossos ancestrais. A gente religiosamente faz essa festa para eles para pedir proteção para o nosso Carnaval".
 
O batuqueiro Preto Marley, também do Leão Coroado, explicou o que significa, para os integrantes dos maracatus, participar dos Tambores Silenciosos: "Aqui a gente convida os eguns (espíritos) para participar da festa e abrir o nosso Carnaval com paz, saúde e felicidade. É para começar o Carnaval com pé direito e com a pegada do maracatu".
 
Pouco antes das 0h, o Mestre Afonso deu início à cerimônia. Fogos de artifício coloriram o céu enquanto cânticos em iorubá eram entoados pedindo um Carnaval de paz para os presentes. O Recife também saúda a ancestralidade com seus maracatus. Na segunda-feira de Carnaval as nações se encontram no Pátio do Terço, na capital pernambucana.
 
Participaram da Noite para os Tambores Silenciosos de Olinda: Nação Leão Coroado; Maracambuco; Nação Tigre; Nação de Luanda; Maracatu Sol Brilhante; Nação Camaleão; Nação Pernambuco; Nação Badia; Nação Estrela de Olinda; e Nação Estrela Brilhante de Igarassu, como convidada especial.

Comentários