Clicky

Começou! • 09/02/2018 - 21:39 • Atualizado em: 10/02/2018 - 01:31

Recife abre seu Carnaval numa grande homenagem ao frevo

Comandado pelo Quinteto Violado, oespetáculo 'O frevo para o mundo' contou a história do ritmo no palco do Marco Zero

por Paula Brasileiro
Paula Brasileiro/LeiaJáImagensPaula Brasileiro/LeiaJáImagensPaula Brasileiro/LeiaJáImagensPaula Brasileiro/LeiaJáImagensPaula Brasileiro/LeiaJáImagens
(
No dia em que completa 111 anos de história, o frevo, o mais pernambucano dos ritmos, ganhou de presente um grande espetáculo, O Frevo para o Mundo. Idealizado e apresentado pelo Quinteto Violado, o show deu início à cerimônia de abertura oficial do Carnaval do Recife, nesta sexta (9), com direito a convidados e muita luz e cor.
 
No palco, passistas relembraram os primórdios do passo, quando este se misturava à capoeira, estandartes de blocos desfilavam e os convidados se revezavam cantando frevos consagrados. André Rio, Maestro Forró, Beto Hortis, Antônio Nóbrega foram alguns que contaram parte desta história, sob a batuta do Maestro Duda. 
 
Ao descer do palco, era visível a alegria do cantor André Rio: "Espetáculo belíssimo, muito apropriado para a data. A orquestra do Maestro Duda está fazendo maravilhosamente o seu papel junto ao Quinteto Violado. São duas figuras que eu amo, é um privilégio cantar com eles", disse.
 
Já o Maestro Spok emocionou a todos tocando o hino de Pernambuco acompanhado do coro de vozes dos foliões que lotavam a praça do Marco Zero: "O Quinteto disse que eu poderia fazer o que eu quisesse antes de tocar 'Sete Corações', daí me seu vontade de homenagear o meu Estado que eu amo de paixão, de verdade", disse ao LeiaJá.
 
Ao fim do espetáculo, Dudu Alves, tecladista do Quinteto Violado era só orgulho: "A gente teve a grata oportunidade de mostrar o que a gente viveu. Foi uma noite memorável, certamente entrará para a história".

Comentários