Clicky

• 10/02/2018 - 12:39 • Atualizado em: 10/02/2018 - 12:40

Mulheres trazem o empoderamento ao Carnaval através das fantasias

De super-heroínas e personagens de video games à pessoas reais, algumas foliãs buscaram representar a força feminina em suas roupas

por Ana Tereza Moraes
O quarteto de amigas marcou presença vestidas de BatgirlAs foliãs escolheram uma fantasia de Fridda KhaloLara Croft foi a escolha da vendedora para o CarnavalMulheres se vestem de Mulher-Maravilha no Galo da MadrugadaMãe e filha foram de super-heroínasA fantasia de Fridda Khalo foi escolhida também por outra foliã

Com a aproximação do Carnaval de 2018, um dos principais temas que vem sendo discutido é a questão do assédio e do respeito com as mulheres, com direito a campanhas como a do ‘Não é Não!”, o “Aconteceu no Carnaval” e até mesmo o guia da Prefeitura do Recife sobre “Como não ser um babaca no Carnaval”. Em meio a esse contexto, muitas mulheres decidiram levar o empoderamento às ruas através de suas fantasias, na tentativa de passar uma mensagem de força e resistência.

Tamires Pinto, de 33 anos, optou por adereços e maquiagem que fazem referência à Fridda Khalo, símbolo da luta em prol das mulheres. “Fridda é empoderamento, não tinha como não usar uma fantasia assim esse ano. Com ela estou trazendo a força feminina para o Carnaval, e também buscando representar a mulher e a importância dela na sociedade, mandando esse recado de não violência com a gente”, explica a contadora.

Uma das opções mais escolhidas entre o público feminino foi a fantasia de super-heroína, seja ela a partir de personagens que já são mulheres ou através da transformação de personagens masculinos existentes. Patricia Carla, manicure de 38 anos, veio, junto com mais três amigas, vestida de Batgirl. “Todo ano saímos juntas de alguma figura dos quadrinhos. Ano retrasado foi Capitão América, ano passado foi Mulher Maravilha e esse ano o Batman. Isso serve pra mostrar que somos guerreiras, mulheres batalhadoras, mães, que trabalham e também tem direito de curtir a folia”, comenta.

Gabriela Punto, de 29 anos, veio ao Galo da Madrugada à trabalho, vendendo bebidas. Mesmo assim, ela não deixou de se vestir à caráter, e trouxe no corpo uma fantasia de Lara Croft, uma personagem muito popular no mundo dos vídeo games e que já inspirou adaptações no cinema. “Primeiro eu pensei na personagem, que eu amo, segundo também na questão de que a fantasia é super refrescante, perfeita para o Carnaval daqui. Entrou também na minha decisão essa questão da força feminina, da mulher independente que sabe se virar. É bom até pra dar uma assustada por aqui, ver se assim espanto o assédio”, brincou Gabriela.

Comentários