Clicky

Reconhecimento • 11/02/2018 - 21:49 •

"O Recife é a cidade mais aberta à música popular brasileira", afirma Mart'nália

Para a sambista carioca, o Carnaval de 2018 é um dos mais engajados na questão da tolerância de gênero e diversidades

por Eduarda Esteves
......
Na noite deste domingo (11) carnavalesco, a sambista Mart'nália subiu ao palco do polo Samba, na Rua da Moeda, no Recife Antigo. Em entrevista exclusiva ao LeiaJa.com, a cantora falou sobre o momento musical do país é sobre o espaço do samba no carnaval pernmabucano.
 
Essa não é a primeira vez de Mart'nália no palcos recifenses durante o Carnaval. Ela conta que é sempre um prazer se apresentar na cidade, em qualquer polo. "É um Carnaval conhecido por ser multicultural, apesar de toda a herança do frevo. Eu acho que o Recife é a capital que mais é aberta à música popular brasileira. É muita diversidade e por isso preparei um show diferente do que faço em turnês, vim divertir e interagir o público", disse a sambista. 
 
Ela diz que é muito bom um modelo de festa que é aberto a todos ritmos, inclusive o Samba. Mart'nália prometeu homenagear o pai Martinho da Vila, que completa 80 anos na segunda-feira (12). "A gente tem que agradar o povo, é carnaval e eles vieram se divertir. Cantarei sambas famosos, marchinhas de Carnaval, e também vou apresentar ao público do Recife o samba enredo que fiz para a escola de samba Unidos da Tijuca, em homenagem à Miguel  Falabella", pontuou.
 
Para a sambista carioca, o Carnaval de 2018 é um dos mais engajados na questão da tolerância de gênero e diversidades. "O Carnaval sempre foi isso, um momento de protesto irônico e com tantas coisas péssimas que acontecem no país, a gente percebe um maior engajamento de todos. É a forma da cultura e da alegria se mistura com nossa realidade", ressaltou Mart'nália.
 
A cantora também comentou sobre os novos hits que disputam espaço no carnaval nacional. Para ela, há espaço para todos na cena musical do país, principalmente por causa da Internet. "Mas, um pouco mais de português e menos putaria seria melhor. Eu não ouço certos estilos musicais porque não é minha praia, acho que gostaria de mais critérios", afirmou. Apesar da critica, Mart'nália fez a ressalva de que esses ritmos ainda estão se formando e é muita novidade. "A gente sabe que não é para sempre e por isso tem que levar na brincadeira", concluiu.

Comentários