Clicky

Reggae • 04/03/2019 - 21:32 •

No Recife, vocalista do Natiruts fala sobre política: 'A gente tem um preso político'

Em entrevista ao LeiaJá, Alexandre Carlo também falou sobre acesso à cultura 

por Pedro Bezerra Souza
Grupo anima o público com grandes sucessos Pedro Bezerra Souza/LeiaJáImagens (Grupo anima o público com grandes sucessos )
O vocalista do Natiruts, Alexandre Carlo, chegou aos bastidores do palco da Várzea, na Zona Oeste do Recife, pouco antes de uma hora para o início do show, na noite desta segunda-feira (4). Recebeu a reportagem do LeiaJá com exclusividade em seu camarim para contar um pouco sobre as expectativas para a apresentação no Carnaval recifense. O Natiruts é uma banda de origem em Brasília (DF), em 1996.
 
Dono de verdadeiros hits dentro das variedades do reggae (roots, fusion e alternativo), o Natiruts veio se consolidando ao longo de sua trajetória. O vocalista do grupo enalteceu a oportunidade de tocar diante de comunidades. "Tocar em comunidade é bem legal. Não só em comunidade, show gratuito tem uma energia diferente, porque vem todo mundo, não tem a questão de pagamento de ingressos. A galera vem mais solta. Fiz Bomba do Hemetério ano passado e foi esse show que fez a gente querer voltar", comentou Carlo. "O Brasil está um pouco distante dessa coisa de acessibilidade à cultura, de uma forma geral. A gente toca no Brasil inteiro e a classe média é que tem acesso a esses shows, porque o ingresso tem que ser por um determinado preço... porque o Brasil é um país que a gente paga muito imposto. E a galera menos favorecida economicamente não consegue pagar esses shows", acrescentou o cantor.
 
Perguntado sobre a mistura de música, cenário cultural e responsabilidade política, Alexandre Carlo não se absteve em falar sobre momento em que o Brasil passa. "É muito claro que a gente tem um preso político. Claramente ganharia as eleições no primeiro turno. Caixa dois sempre foi crime. Desde que sou gente era crime. E agora vem o ministro da Justiça e dá uma declaração dizendo que não é crime", falou o artista. Animados para tocar no polo da Várzea, que a essa altura ja estava completamente lotado, os integrantes da banda logo subiram ao palco e garantiram um início de show eletrizante.

Comentários