Clicky

Impasse • 19/02/2020 - 19:37 • Atualizado em: 19/02/2020 - 19:52

Fundarpe se pronuncia sobre protesto de Lia de Itamaracá no Carnaval de Pernambuco

Segundo empresário da cirandeira, o órgão do Estado não quis reajustar o pagamento

por Paulo Uchôa
Divulgação/Ytallo Barreto Lia de Itamaracá não sobe aos palcos promovidos pelo Governo de Pernambuco (Divulgação/Ytallo Barreto)

Após Lia de Itamaracá anunciar que, neste Carnaval, não vai se apresentar nos palcos do Governo de Pernambuco, em forma de protesto por conta do cachê oferecido, a Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe) resolveu se pronunciar.

Procurada pelo LeiaJá, a Fundarpe explicou que "não houve oficialização de proposta para a artista participar da grade de contratações do Carnaval de Pernambuco", após a equipe de Lia não aceitar uma negociação sobre o reajuste do pagamento.

Confira:

O cachê de Lia de Itamaracá estaria congelado há cerca de seis anos. Essa informação procede?

O atual valor do cachê por apresentação de Lia de Itamaracá é de R$ 18.000,00 (dezoito mil reais). Essa quantia foi definida em 2015 para apresentações no Carnaval e São João do referido ano.

Segundo seu produtor, foi negado a eles um reajuste de R$  7 mil, procede? Houve alguma contraproposta por parte da Fundarpe?

Como a Secult-PE/Fundarpe possui restrições legais para reajuste de cachês sob a justificativa da presença de colaboradores eventuais em suas apresentações, foi proposto à produção de Lia de Itamaracá o pagamento do cachê de DJ Dolores em um processo distinto, e não incluso como integrante da banda que a acompanha. A negociação não foi aceita pela equipe de Lia de Itamaracá.

Quantos shows foram propostos a Lia neste Carnaval de 2020?

Após a negativa da equipe de Lia de Itamaracá, não houve oficialização de proposta para a artista participar da grade de contratações do Carnaval de Pernambuco.

Vai haver algum tipo de negociação para que a artista volte atrás?

Como Patrimônio Vivo de Pernambuco, Lia de Itamaracá e sua equipe têm amplo canal de negociação com os dirigentes da Secult-PE/Fundarpe, que permanecem completamente disponíveis para ouvir os pleitos da classe artística do Estado. Também é compromisso da Secult-PE/Fundarpe realizar, em conjunto com a Setur/Empetur, após o Carnaval, uma avaliação das demandas de reajustes de cachês de artistas pernambucanos. A proposta é construir, por meio de uma comissão, uma análise com critérios unificados para atender esses pleitos.

Comentários