Clicky

Cultura popular • 19/02/2020 - 13:45 • Atualizado em: 20/02/2020 - 10:10

Maracatu rural é tradição secular que transborda brasilidade

Um dos brinquedos mais sedutores do Carnaval pernambucano é cheio de significados e tradições

por Paula Brasileiro

Não parece exagero dizer que o maracatu rural, ou maracatu de baque solto, é o brinquedo mais misterioso e sedutor do Carnaval. Cheio de personagens, que dançam e 'manobram' ao ritmo bastante particular do 'terno' - como é chamada sua parte musical -, a manifestação mistura elementos das culturas negra e indígena fazendo transbordar sua brasilidade com tons de pernambucanidade. Neste especial de Carnaval, Seu Zé Rufino - ex-caboclo, com uma experiência de mais de seis décadas dentro da cultura popular e fundador do Maracatu Águia Misteriosa, de Nazaré da Mata -, fala sobre a brincadeira e explica o que não pode faltar para botar o maracatu na rua. 

LeiaJá também

--> Maracatu de baque solto, a brincadeira mais misteriosa do Carnaval

--> Nova geração de mestres garante a continuidade e manutenção do maracatu na Mata Norte

--> Cravo e batom: da presidência caboclaria à caboclaria, as mulheres estão dominando o maractu rural

"A gente aqui trabalha para ensinar". 

José Rufino, fundador do Maracatu Águia Misteriosa, de Nazaré da Mata - 86 anos, 66 deles dedicados à cultura popular.

"Desde pequeno eu queria brincar de caboclo. Eu via meu pai brincando e queria brincar também". 

Alex dos Santos Oliveira - 18 anos, brinca desde os seis.

"O personagem da Catita, ela faz a abertura do maracatu. É a graça do pessoal".

Lucas Vinícius, a Catita Liandra - 15 anos de idade, há dois brincando no maracatu.

"Pretendo brincar até o resto da minha vida. Não troco o meu maracatu por bloco nenhum". 

Khetylley Romana - 23 anos, há dois no maracatu. Em 2019, ela apenas trabalhou na organização da agremiação, neste Carnaval, ela estreia como baiana.

"O caboclo é como se fosse o guarda que protege o nosso maracatu".

Edgleibson Lucas da Silva - 18 anos, há três é caboclo. Na foto, ele se veste como arreamar.

"Maracatu é a melhor coisa do mundo. Pra mim é maravilhoso, eu amo brincar".

Maria Alice Santos da Silva - 13 anos, há quatro brinca maracatu como indía.

 
 
Imagens: Rafael Bandeira/LeiaJáImagens
Produção: Victor Hugo
 

 

 
 

Comentários