Clicky

• 22/02/2020 - 09:53 • Atualizado em: 22/02/2020 - 09:58

Deputada pede punição para foliões do bloco "Vacas Profanas"

Clarissa Tércio pede que a polícia conduza à delegacia as mulheres da agremiação que cometam "crime de ato obsceno" por  usar "saia e adereços com estampa imitando pele de vaca, e seios à mostra"

 

por Thabata Alves

A deputada estadual Clarissa Tércio (PSC), protocolou pedido solicitando que a Polícia compareça ao evento do bloco carnavalesco “Vacas Profanas”. A deputada quer que os foliões do bloco, marcado para sair às ruas de Olinda, no próximo dia 24, às 13h, na Rua Dom Pedro Roser, 190, Carmo, sejam detidos caso cometam "crime de ato obsceno", sendo inclusive levadas à delegacia para os "procedimentos policiais competentes".

 Ela argumenta que as participantes da agremiação usam "saia e adereços com estampa imitando pele de vaca, e seios à mostra, o Vacas Profanas, desfila sem nenhum pudor, tentando repassar a ideia de que a mulher deve escolher o que fazer com o seu corpo e que tudo é apenas arte".

Para dar mais força a postura da deputada, o pastor Júnior Tércio (esposo da deputada Clarissa Tércio), produziu um vídeo rebatendo a prática do bloco. Ao ser postado na plataforma Instagram e após ter viralizado, o conteúdo foi retirado do ar por ser considerado “conteúdo impróprio”.

“Não seria bem empregado a polícia levar tudo para o xilindró, por infringir a Lei?”, questiona o Pr. Junior Tércio em um dos trechos do vídeo. Ainda cita o artigo 233 do  Código Penal Brasileiro para pontuar que: “Praticar ato obsceno em lugar público, ou aberto ou exposto ao público: Pena - detenção, de três meses a um ano, ou multa”.

Ação:

Clarissa Tércio, através da sua assessoria jurídica, ingressou com solicitação para que a polícia não permita que atos obscenos sejam praticados durante o percurso do bloco, coibindo inclusive abusos e excessos.

“É inadmissível, que a família pernambucana continue sendo a todo instante exposta a essas aberrações, sem que ninguém tome uma providência”, disse a deputada.

*Com informações da assessoria 

 

Comentários