Clicky

Elza Soares • 23/02/2020 - 08:43 •

'A carne mais barata do mercado não é mais a carne negra', crava Elza Soares em show no Recife

Tal qual uma rainha, ela cantou e direcionou o público a refletir sobre questões de gênero, raça e classe, além de fazer críticas sobre a atual conjuntura política brasileira

por
 Mandy Oliver/PCR ( Mandy Oliver/PCR )

A Praça do Marco Zero, no Bairro do Recife, recebeu, neste sábado (22), uma realeza da música popular, preta e brasileira. A cantora Elza Soares protagonizou um dos pontos mais altos da segunda noite de programação do principal palco do carnaval pernambucano com um show histórico. A artista, ícone de uma geração que exalta o empoderamento negro como caminho para a promoção de igualdade, fez um apresentação emocionante e a ainda se declarou: “Eu amo o povo de Pernambuco. Eu amo esse povo maravilhoso”. E dedicou o show às mulheres, na noite em que elas protagonizaram a programação do principal palco da folia.

O show do 34º disco da carreira da cantora, “Planeta Fome”, foi apresentado num formato que tem Elza no centro e no alto do palco. Tal qual uma rainha, ela cantou e direcionou o público a refletir sobre questões de gênero, raça e classe, além de fazer críticas sobre a atual conjuntura política brasileira. “Brasil: “Brasil, Brasil! Chama que é para ver se alguém escuta”, falou em tom de sarcasmo, uma das suas marcas. 

Sucessos de outros discos também foram lembrados no repertório da cantora como a clássica “A carne”, que foi ressignificada: “A carne mais barata do mercado NÃO é mais a carne negra”. A afirmação causou grande levante no público que lotou o Marco Zero para acompanhar o show. Elza Soares fez um apelo para que as mulheres não se calem diante de casos de violência e denunciem seus agressores. “Falar de mulher é muito importante pra mim. Minha música colabora muito para que mais mulheres tenham coragem para tomar uma atitude diante da violência”. No final do show, a cantora foi ovacionada ao interpretar um dos seus grandes sucessos recentes, “Mulher do fim do mundo”.

Gretchen e Gaby Amarantos 

Depois da apresentação memorável, foi a vez de uma famosa pernambucana subir no palco do Marco Zero, Gretchen fez uma participação especial e cantou clássicos de sua carreira como “Conga la conga” e “Melô do piripipi”, além de interpretações de músicas como “Amor de quenga”, de Pabllo Vittar. Logo após, foi a vez de uma das queridinhas do público pernambucano fazer um show vibrante no Carnaval do Recife. “Eu não cantei em nenhum outro lugar do mundo o show que eu trouxe pra cá. É um show especial”, garantiu Gaby Amarantos.

A artista também elogiou a iniciativa da Prefeitura do Recife de reservar uma noite para uma programação composta apenas por atrações femininas. “Extremamente necessário. Queremos ver representatividade feminina em todos os espaços não só no Carnaval, mas durante o ano todo”, comentou ela, que não deixou de fora do repertório hits como “Ex My Love” e “Treme treme”. A cantora surpreendeu o público ao chamar para o palco o primeiro maracatu rural composto apenas por mulheres, Coração Nazareno. E homenageou o movimento Mangue, interpretando músicas como “Maracatu Atômico”. O bregafunk também foi homenageado: Gaby provocou o levante do público cantando um dos maiores hits de Shevchenko e Elloco, “Chapuleitei”.

O prefeito Geraldo Julio e a primeira dama Cristina Mello apreciaram a noite comandada por uma seleção de artistas mulheres da cena musical local e nacional. Juntas, elas fizeram uma mistura musical com que há de melhor no repertório musical pernambucano, como maracatu, coco de roda, frevo, brega, forró, pop, samba, entre outros. 

“É uma noite muito importante, que trata de um tema muito sério, a violência contra a mulher. Assédio não é brincadeira, fazer piada não é engraçado, pelo contrário, tem que ser evitado e combatido. A gente sempre faz as campanhas do Carnaval, contra o assédio e o ‘não é não’, respeitar o limite do outro, seja mulher ou homem. E a gente está aqui hoje ressaltando isso com as mulheres se apresentando no palco principal do carnaval do Recife. Hoje, o Marco Zero está dedicado a essa causa, que é uma causa muito importante e o Carnaval é uma grande vitrine para dar visibilidade ao enfrentamento  à violência contra a mulher”, destacou o prefeito.

*Da assessoria de imprensa

Comentários